home
empresa
conceito
portifólio
NewTv no ar
entrevistas
blog
fale conosco



under construction voltar


Axalto - Celulares agora têm coração e cérebro

01/12/2005

Cartões microprocessadores geram aparelhos “inteligentes”


Marcelo Godoy
Daniel Reis


Chips de memória para celulares. Essa tecnologia GSM é o coração e o cérebro dos aparelhos móveis, além disso, representa economia para as operadoras e ampliação de serviços para o usuário. Quem participou do programa para esclarecer as possibilidades dessa iniciativa foi francesa Axalto, líder mundial em cartões microprocessados e uma das principais fornecedora de terminais POS ou ponto-de-vendas, como se não bastasse, atua no mercado de cartões inteligentes há 25 anos.

Axalto trabalha em várias frentes, por exemplo, fornece serviços ao departamento de defesa americana e à Microsoft. Atualmente também elabora uma tecnologia para passaportes. Os documentos terão um chip para o controle de fronteiras. Mas o destaque da entrevista ficou mesmo para a telefonia móvel.

A entrevistada dessa edição do newTV é diretora de vendas e marketing para o segmento de comunicações móvel da Axalto, responsável pela região América Latina Sul, Natália Fakhri. Ela ressalta que o papel da empresa de pré-pagos é munir as operadoras com soluções que reduzam custos operacionais e ainda fidelizem o cliente.

“A nossa visão é que o mercado de pré-pagos é interessante para o chip. É um mercado no qual a maioria dos usuários têm um poder aquisitivo baixo e você tem a oferta de serviços baseados num custo muito baixo para a operadora”, afirma Natália.

Hoje o chip pertence a operadora e tudo o que está lá dentro é ela quem pré define. Mas Fakhri destaca um futuro no qual, a medida em que o chip começa a ter maior capacidade de memória, os usuários passem a exigir um serviço mais personalizado.

“Você imagina o pessoal que tem blog e quer armazenar foto. A idéia é que você possa elaborar um chip, que usuário chegue e diga quer um chip de 128 mega, porque ele tem um blog e várias outras coisas e quer armazenar ali”, aponta a gerente de marketing.

-newTv – O Paulo Hartman pergunta se os cartões no Brasil são super utilizados. É isso mesmo?

- Natália Fakhri - É verdade. Fora o pessoal de marketing que cuida do serviço de valor agregado e aqueles que compram e desenvolvem dentro da operadora serviços para o cartão, a grande maioria das outras áreas na operadora não têm conhecimento do potencial do cartão para ajudá-los como um canal de fidelização, canal de comunicação entre a operadora e o usuário. A gente tem tentado trabalhar muito nessa área de prover a operadora de soluções, para reduzir custo e fidelizar o cliente.

- newTV – O Draco, que participa com a gente, pergunta se os cartões saem caros para a empresa.

- Fakhri - A gente escuta que o cartão é 2% do custo da operadora. Os celulares hoje são os grandes vilões.

-newTV – Paulo Hartman faz outra pergunta. Além da agenda o que mais pode ser colocado num cartão?

- Fakhri -
Várias coisas, você tem a agenda, como complemento você tem a solução que faz o backup da sua agenda. Imagina uma aplicação no cartão que identifica, dependendo de como você programa isso, quantas entradas na sua agenda você tem. E você pode ter uma mensagem que te avisa: “Você teve 5, 10 entradas na sua agenda. Gostaria de fazer o backup agora?”. Se a pessoa aperta sim esse backup é enviado para a rede, onde tem um servidor que armazena a tua agenda. Amanhã, se o seu celular é roubado ou perdido, você pode recuperar toda a sua agenda no novo chip.

-newTV – Essa comunicação, por exemplo, entre o consumidor final e a operadora seria SMS?

- Fakhri -
Ou você poderia, em algum momento fazer uma chamada. Você pode programá-lo para efetuar uma chamada sem que o usuário tenha colocado o número lá dentro.

Você viaja para o exterior e você sabe que o número do call center da operadora é *100, só que quando você está no exterior é outro número. Existem maneiras, através do cartão, de programar o número da operadora de maneira que o próprio cartão, ao invés de discar *100, disque o número internacional.

Existem várias outras aplicações que você pode colocar. Há pagamento pelo chip. Você recebeu e eu também recebi um cartãozinho com os números para você acessar de maneira mais segura a Internet. É possível hoje você colocar dentro do Sim Card uma aplicação que gera esses números e você poder usá-los no seu acesso em Internet bank.

-newTV- A gente tem uma pergunta de outro internauta. Ele diz que com 128 mega certamente alguns aplicativos poderiam vir pré-instalados no cartão.

- Fakhri -
Você tem hoje duas opções. Você pode ter os aplicativos instalados de fábrica, geralmente as operadoras preferem essa opção. E você também tem opção de ter um motor dentro do cartão e enviar esses menus através de SMS, de uma maneira mais fácil do que a gente via antigamente.

O mercado pede essa flexibilidade. Nós conversamos não só com os operadores, mas com o ambiente em torno do operador. O estabelecimento ou negócio quer se comunicar com o usuário final.

-newTV- Eu tenho 1.000 funcionários, compraria 1.000 chips e colocaria no seu celular?

- Fakhri -
Você precisa ter um celular, GSM de preferência e com um chip da Axalto lá dentro. Nesse chip você teria um motor, nesse motor você praticamente poderia baixar um menu de pagamento. E ao mesmo tempo você imagina, por exemplo, a empresa pode enviar através da Axalto ou da operadora uma campanha de interação com o usuário.

- newTV – Isso anterior a compra do aparelho?

- Fakhri -
Independe. Todos os aparelhos GSM são padronizados para interagir com o chip. O que a gente vê é que os operadores não têm fôlego para fazer isso sozinhos. Uma aplicação no cartão compete com “n” outras prioridades. E isso geraria tráfego.

- newTV – Alguns celulares possuem cartão de memória além do chip GSM. De alguma forma eles são concorrentes?

- Fakhri -
São duas coisas diferentes. Você tem uma memória no celular e vai tirando foto, vai armazenando na memória do celular e chega uma hora que esgota. Então você vai querer estender a memória para que você continue tirando foto. Isso é um ponto.
O papel realmente do chip é o fator segurança e claro o fator memória também. No fator segurança o papel do chip é você logar de maneira segura a rede e ter aplicações seguras para o mercado.

-newTV – E a propagando chip da Claro, vocês participaram?

- Fakhri -
Nós gostamos de acreditar que sim. A gente sempre tenta divulgar que o chip, além de ser o coração do GSM, ele ainda serve de canal para outros serviços da operadora.

Hoje, a gente tem estatísticas de que os serviços que estão no chip eles geram tráfego para operadora. O fato do menu de acesso desse serviço estar local, na mão do usuário para ele navegar, então não tem custo para mim, usuário, navegar nesse menu de serviço da operadora. Eu só pago pelo serviço, quando eu gero uma mensagem ou uma chamada e recebo um conteúdo. Diferente de uma chamada, que desde o momento que você acessa já está de alguma forma pagando.

-newTV – O pior é quando você erra.

- Fakhri -
Nem sempre os menus estão devidamente categorizados, que seja muito intuitivo você categorizar a informação que você quer. A gente tem dados que mostram que 80% das pessoas que usam o serviço descobriram sozinhos.

Então, a gente gosta de ajudar o operador a fomentar outros serviços de dados, wap... Você usa um SIM como uma caminho.

- newTV – Como fica a questão da segurança, tendo em vista que existem vários vírus e aplicativos que roubam informações?

- Fakhri -
O chip é à prova de fraude. Ele tem um mecanismo que se for atacado ele praticamente se autodestrói, fica inviolável. Isso do ponto de vista do hardware. Do ponto de vista das aplicações você tem vários níveis de segurança dentro do produto. Você tem senha de acesso, incriptação, algoritmos simétricos e assimétricos, ou seja, são vários mecanismos para assegurar que o produto é seguro.

-newTV – Vamos falar de pré-pagos ?

- Fakhri -
A nossa visão é que o mercado de pré-pagos é interessante para o chip. É um mercado no qual a maioria dos usuários tem um poder aquisitivo baixo e você tem a oferta de serviços baseados num custo muito baixo para a operadora. Você já tem que ter de qualquer maneira o chip no celular GSM de qualquer maneira. O centro de mensagem que é um canal de acesso do Sim Card até o conteúdo, ele também tem porque fornece mensagem pessoa a pessoa.

Agente ainda tem soluções específicas para esse mercado. Há aplicações seguras dentro do chip para fazer a recarga do pré-pago através do próprio chip e você poder comprar créditos e repassar esses créditos para o seu irmão e amigos, por exemplo. É o que a gente chama de viral, eu tenho R$20,00 agora e você não tem crédito, eu posso passar para você R$10,00 se você quiser.

-newTV- Como?

- Fakhri -
Você precisa de uma plataforma para isso e uma aplicação no cartão. Mas é uma solução que já existe. Há um interesse muito grande do mercado nisso, pois quanto mais se consegue agilizar a logística, você passa a ter uma rentabilidade maior com o seu cliente.

Links
http://www.axalto.com/
http://www.simagine.axalto.com






Guest