home
empresa
conceito
portifólio
NewTv no ar
entrevistas
blog
fale conosco



under construction voltar


Kyocera: simplicidade de aparelhos conquista o mercado

11/04/2006

Para gerente de marketing os pontos de venda são a melhor estratégia para se aproximar dos clientes e aumentar as vendas da empresa


Marcelo Godoy
Daniel Reis

O programa newTV contou com a participação do Gerente de Marketing da Kyocera Wireless Brasil, Felipe Huertas, o responsável pela comunicação da marca – institucional e produtos – da empresa no país, incluindo campanhas publicitárias em parceria com a operadora VIVO, programas e promoções de incentivo a vendas, eventos, colaboração com ações de comunicação empresarial, pesquisas de mercado e análise da concorrência.

O bate papo rolou de forma calma. Entrevistado demonstrou objetividade em apresentar a empresa japonesa. Ele se refere ao mercado nacional com entusiasmo e ressalta a relevância de investimentos no nicho de reposição.

Para Huertas o mercado aponta tendências e é sobre elas que as fabricantes devem trabalhar. Será cada vez mais comum encontrar um aparelho com funções e aplicativos variados, porém, na visão dele, muitos dos produtos que são expostos em feiras como a Telexpo nem sempre são vendáveis.

“Vamos fazer uma analogia ao mercado de moda, tem aquele desfile que o pessoal vai ver e as peças nunca vão para a loja e tem aquela coisa que é mais usual e vai vender”, afirma o entrevistado.


Marcelo Godoy - Como vocês enxergam o mercado brasileiro?

Felipe Huertas -
É um mercado de um potencial enorme. Estamos próximos de 90 milhões de assinantes. Um dos maiores mercados do mundo, com potencial para todos os fabricantes. Ele se torna um mercado muito atraente a medida que o mercado de reposição cresce. Acredito que o Brasil deva ser o maior parque de celulares no mundo, em números absolutos.

Godoy - Quanto tempo dura um celular?

Huertas -
Em média 12 meses. Isso significa que de toda a base de celulares, 1/3 dessa base troca por ano. Ou seja, quem tiver 90milhões de assinantes, 30 milhões trocam por ano. Se você tiver uma fatia pequena desse mercado de reposição, você tem um retorno muito grande.

Godoy - Hoje você estão em que lugar?

Huertas -
É difícil você calcular isso, existe várias formas de você interpretar. Por exemplo, a venda para a Vivo é feita quadrimestralmente. Nós estamos em quarto ou quinto lugar. Como a operação é nova há fabricantes grandes que estão a muito tempo no mercado. Nós estamos aprendendo que é muito importante você está presente nos postos de venda e trabalhar a sua marca e seu produto, criando demanda.

Godoy - E junto ao consumidor?

Huertas -
O melhor investimento em marketing, tanto em relação a custo benefício como em resultados mesmo, é no ponto. Junto aos clientes. Melhor do que qualquer mídia. Mídia cria marca que te dá exposição. Mas em termos de retorno para empresa, o que funciona é no ponto de venda.

Godoy - Como vocês se posicionam no mercado?

Huertas -
A gente se posiciona como uma empresa que oferece a simplicidade. Nossos aparelhos são simples e qualquer um consegue operar. O software é acessível.

Godoy - Tem algum produto novo a ser lançado?

Huertas -
Nós vamos lançar um aparelhinho que é bem interessante, que o K352.

Godoy - Tem aí para a gente ver?

Huertas -
Não tem ainda, pois não foi lançado. A gente anunciou esse aparelho na Telexpo. Ele vai ter MP3, tem o design bastante arrojado, é bem fino. Ele não é tão high end, pois não tem a câmera com tanta definição, mas é acessível e muito bem acabado.

Godoy - Tem outras novidades?

Huertas -
Tem muita coisa, mas conceitual. Geralmente são coisas que não entram. Vamos fazer uma analogia ao mercado de moda, tem aquele desfile que o pessoal vai ver e as peças nunca vão para a loja e tem aquela coisa que é mais usual e vai vender.

Godoy - O que você acha que se tornará indispensável num celular?

Huertas -
Existe tendências a serem exploradas. Hoje se fala bastante em TV digital e câmeras fotográficas. Eu acredito que se os celulares passarem a ter câmeras superiores a 2 mega pixels o mercado de câmeras vai acabar diminuindo muito, o celular vai engolir tudo. A mesma coisa com o mercado de MP3. Você tem um celular com câmera, toca MP3 e eventualmente você pode até assistir televisão. A tendência é que cada vez mais se concentre tecnologias dentro de um único aparelho.


Link
http://www.kyocera-wireless.com.br/

 

 






Guest